TÔ GUARDANDO COCÔ DENTRO DO FRIGOBAR DO HOTEL – Crônica

HOMEM: Eu era foda na infância.  O picão das aulas de teatro. Sempre fumava maconha no camarim. Agora olha pra mim, Eu tô morando na porra de um hotel e amanhã eu tenho exame. Tô guardando cocô dentro do frigobar do hotel Do lado da latinha de Itaipava Deve ser horrível pra ele, como está…

Escolha primitiva – Crônica (Luciano Pinheiro)

Por décadas a televisão foi apedrejada e acusada de manipulação. Agora o que temos, senhores? Em plena era da comunicação avançada, vocês continuam grandes consumidores de lixo. Não é mais o jornal com nome de banco cortando as falas do Lula no debate, hoje as pessoas consomem infinitos tipos de conteúdos maliciosos, falsos, tendenciosos nas mais…

Carta Aberta Para Filipe Cavadas (por Luciano Pinheiro)

Ou medicina; Ou panificação. Apenas por hoje quero me despir das vestes da ética e do ceticismo para falar sobre uma pessoa próxima a mim, de forma livre, assim como fala um telespectador sobre a sua série favorita, colocando esta, intelectualmente, acima das outras que conheço. Tenho assistido essa série por aproximadamente 14 anos e…

Words that should not have been invented (Lucio) – Miniconto

She leaned towards my left ear, while riding me wildly. She said she loved my dick. I’m not into one night stands, but with her it felt like we’d met already. I was raised by a religious family and never ever talk dirty, so I said, trembling my voice: – I love your vagina. She…

BLUE EYED ANGEL – Poem

Whenever a blue eyed angel falls from the sky it sparks a burning flame in my heart. Forever blue like a dark sight. You can only feel in your heart’s bullseye that she needs me tonight when I look her in the eye and she looks back in mine. I’m the only one who can…

O mistério do podrão – Conto

Três histórias, um final. Capítulo 1 — Carne de Pavão. (Filipe Cavadas) LORENA Um “oi” sem graça. Marcamos de encontrar em frente ao SAFRA —  meu celular tinha corrigido como SOFRA —  na esquina da augusta com a paulista. Levantei da mureta do jardim cruzando os braços sobre minha bolsa, mas ele tava bem à vontade….