Mordaça – Poema

Perguntou de todas as coisas, de todas as formas sem perguntar nada,
Parou em cima de mim sem encostar,
Para cá veio sem sair de casa.

Em toda minha vida, nunca ouvi nada mais lindo que seu silêncio
E nada mais feio vi que o seu amor.
Eu só queria poder falar com ela mais uma vez, mesmo não conhecendo sua voz

Queria ter dormido um pouco mais quando ela ainda estava do meu lado,
Queria tê-la visto o passar e depois só sobraria a falta de vontade,
Queria amordaça-la para que ela parasse de não falar nada — Gemendo talvez surgisse uma voz finalmente, quem sabe —,

Queria ter visto isso tudo acontecer.

O silêncio na sala, a distância no sofá.

Quem sabe a morte seja assim para todos
Quando passa destrói
Quando fica corrói
Quando está distante, desejo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s