Durante a Caminhada – Poema

Aos poucos
Ia apagando da minha memória
Cada passo dado voltando da sua casa
Na primeira vez que a tive perto
E mais nada.

O vento batia gelado
Numa noite de neblina intensa
O choro secava
Antes mesmo de virar lágrima.

Cada passo pesado daquela caminhada
Me fez mais homem do que na infância
Enquanto apanhava
E diziam as verdades na minha cara.
Nada daquilo parecia chegar aos pés da caminhada.

As mortes, as dores enquanto surrava
Com as mãos o meu rosto, sangrava.
Sonhava
Apenas em poder conseguir de novo dormir.

Percebi que o sofrimento não era algo pra se sentir.

Era preciso conhece-lo

Cada vez mais.
Nuelo.
A cada choro
A cada abraço
A cada passo
Da caminhada.
Se-lo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s