Seu filho da puta

Vou explicar: eu tento ser amigável com as pessoas, mas como estou em um ambiente rodeado por nerds, muitos deles, socialmente incapazes, confundem simpatia com interesse afetivo e começam a se comportar da maneira mais asquerosa possível. Então essa é uma carta aberta:

Seu filho da puta. Eu te odeio, seu filho da puta. Eu odeio essa sua cara escrota. Eu odeio essa boca gorda, deformada e essa voz embargada que parece que tá guardando uma babinha pra cuspir em mim a qualquer momento. Eu odeio esse seu cabelo loiro duro que parece uma merda de um capacete. Você não vive na década de 1980, seu filho da puta. Corta esse cabelo escroto.

Esse filho da puta tem que falar tudo rindo, deus sabe o porquê. O filho da puta não consegue contar uma história sequer sem interromper a história pra dar uma risadinha: fala direito, seu bosta!

Eu odeio essa sua mãozinha e esse seu pézinho. Que merda é essa? Suas extremidades esqueceram de crescer? Parece uma mãozinha gorda de neném implantada num corpo adulto. E o pézinho que tem um tênis alto sempre e parece o sapato do Hermann monstro. Dá vontade de passar uma porra de uma serra elétrica nessa mãozinha gorda escrota.

Esse filho da puta ainda por cima senta do meu lado todo dia pra estudar, com essa cara vermelha, que deixa essa porra desse capacete dourado mais fake ainda. Parece que esse filho da puta rola num balde de margarina antes de vir pra faculdade. Ainda por cima ele vem de bicicleta e não passa desodorante – ou deve comprar um desses vagabundos, o que é pior ainda – seu miserável fedorento desgraçado.

Filho da puta, você acha que eu te dei intimidade QUANDO? Quando eu te emprestei material pra estudar? vai tomar no cu! Outro dia me mandou mensagem às três da manhã. Você acha que eu tô fazendo o que numa quarta às 3 da manhã seu merda? jogando DOTA? No dia seguinte encontrei com ele e falei que se ele me mandasse mensagem de madrugada de novo pra ele enfiar o celular no cu. Ele ficou triste porque eu briguei com ele. VAI TOMAR NO CU! Parece cachorro, caralho. Dá vontade de tentar matar com alguma arma alternativa do tipo “mulher mata o marido com caixa de pão. Eu queria que você morresse morto por uma caixa de pão.

Para de andar atrás de mim como se fosse um encosto arrombadaço, para de andar perto de mim. Numa boa, quando você chega perto de mim dá vontade de ter uma diarréia pela boca e vomitar na sua cara. E depois que você estiver todo vomitado de merda eu vou esfaquear essa sua mãozinha gorda que você roubou de algum bebê na rua.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s