Vomirréia (diavômito) – Conto

Eu enchi a cara. Estava com saudades de Lorena. Ela não deu nem um “oi” nesses 4 dias. Andava calada antes disso. Não puxava assunto, apenas respondia de tempos em tempos as coisas que eu perguntava. A última vez que a vi foi estranha. Não nos tocamos muito, muito menos falamos. Eu sei que meu limite são 3, mas ontem botei 4 garrafas de vinho pra dentro. A última era a mais cara garrafa da minha adega e não faço ideia do gosto ou aroma ele tinha.
Penso nas pessoas que nunca tiveram um porre matador como o que eu tive. Daqueles que era preciso escolher de que forma sujaria o chão. Com vômito enquanto cagava ou de merda enquanto vomitava na privada. Sempre fui prático. Deitava no box, abria o chuveiro e deixava tudo sair. A merda era sempre mais liquida que o vômito e o cheiro de merda me fazia vomitar mais. Deixava a água batendo no meu rabo pra levar rapido aquele esgoto para o ralo enquanto me matava de vomitar. Sempre adiei o vômito ao máximo. Me sinto muito mal. É uma sensação terrível. Estar rodeado de merda ajudava muito essa situação. Em 5 minutos já tinha vomitado todas as entranhas. Ainda tenho 2 vinhos na adega.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s