Todas – Poema

Todas as mulheres
que passaram qualquer tempo
maior do que alguns dias comigo
se abriram e me deram golpes duros
como um soco no estômago
ou um chute no rim.
Ouvi histórias
tão pesadas que
deformaram permanentemente
as molas da minha cama.

Todas as mulheres
que se abriram comigo
sofreram algum abuso
tentativas de estupro
assédio de avô, primo, tio;
violência doméstica
ou ciúmes doentios
com toques de agressão verbal.

Todas as mulheres
que chegaram até aqui
já molharam minha cama
com lágrimas densas
e já me viram molhar também.

Todas as mulheres
que molharam minha cama
se abriram
se soltaram
se secaram
e então, deitaram
e finalmente conseguiram dormir;
ou fingiram bem.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s