Infértil – Poema

Infértil
o ventre desta puta
Essa maldita criatura
já não pode procriar

Estéril
é uma vala vazia
o útero dessa mulher
que me cometeu um latrocínio

E no seio
onde deveria estar um coração
vê-se do outro lado da sala
por esse buraco vazio

E nua chora
porque até A mais vil de sua espécie
quando descobre que de sua semente

não cresce
nem brota
deixa cair dos olhos à terra
a materialização da dor que sente

Porque até a mais ruim das mulheres
a vadia assassina da beira mar
que a lei divina lhe permita
ter o direito de proliferar

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s