Luzes do Norte – Poema

Era quase que um sonho de validade vencida

Eu deveria ter feito isso antes, em outro ponto desta estrada
e nao soube aproveitar os momentos que eu tive

Abri mão de mim por mais tempo por ninguém
Ninguém que soubesse caminhar os mesmos passos
Na mesma direção, seguindo a sorte

E ouvir o murmúrio do silêncio bater no tímpano
e projetar um ruído ensurdecedor
Traduzir os estímulos da batida do meu coração inquieto
É pra lá que eu quero ir

Com ninguém que segure a minha mão
nem me mostre outro caminho
Eu marco calmo o meu respiro
para dentro, pra fora

pra dentro, pra fora

até aclarar os meus sentidos
e ver que a ferida que vinha na alma
cicatrizou, fez casca, virou pele grossa
E agora, mais forte, já não sente
A dor que me trouxeram

as luzes do norte

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s