3 Poemas Falando dela com ela

Fernanda!

Na avenida uma mulher igual a você quase foi atropelada.
Na minha cabeça exclamei seu nome desesperada.
Logo vi que não era você e fiquei despreocupada.
No fundo não dou muito valor à vida alheia.
Dou valor aos meus.
Salvo em casos de “e se…” ou  “poderia”.
“E se fosse um filho meu?”
“E se fosse meu pai?”
“Poderia ter sido um amigo.”
Poderia ter sido qualquer ser.
Mas não. Era só uma mulher igual a você.

Caos

Aquele poema era tão complicado
Parecia até um disco riscado
Um salto num verso tão ritmado
Parei um momento. Deixei de lado

Escrevo o poema no papel tão rápido
Que não entendo certas palavras
Ou em alguns casos
Parecem outras palavras
Que se encaixam perfeitamente nesse poema

Minha cabeça é um caos
E tenho uma péssima memória pra essas coisas
Então escrevo rápido
E se o lápis não estiver bem apontado
Perco – ou ganho – do poema – o real significado.IMG-20161016-WA0001.jpeg

Poema para o poema “Caos”

A insatisfação com meu, até então, último
Gerou outro poema
Achei ter acordado prosa, mas não.
Acordei poema
Fernanda amou. E era de Ipanema
O verso rimou
O que não foi um problema
Achei ter acordado Surrealista, mas não.
Acordei meio Parnasiano
E de todos eles – os poemas – é um dos que mais amo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s